Biblioteca > Rohden

Unidade na Diversidade

23 de março de 2011

O professor Huberto Rohden, inicia este áudio, explicando o significado da palavra “Universo”. O “Uno” (Creador) que se derrama em “versos” (creaturas). O Infinito (Causa) que se manifesta em finitos (efeitos). Este mesmo “Uno”, que alguns chamam de Deus, outros de Tao, outros de Yahveh, outros de Brahman, o nome, para Rohden, pouco importava!

Em seguida, fala da dificuldade que temos em fazer calar nossos pensamentos. Comparando nossa mente, com uma praça pública. Onde os pensamentos, são como os transeuntes, que entram e saem sem pedir licença à hora que querem. Diz ainda, que nosso EGO é totalmente centrífugo (vai do centro para a periferia). E que para nos encontrarmos com o nosso centro (EU, Alma, Espírito) temos que fazer o caminho contrário, ou seja, centrípeto (da periferia para o centro). Para isto, é necessário calar o EGO (pensamentos, desejos e sentimentos). Não pensar nada, não desejar nada e não sentir nada!

Com formação acadêmica, em teologia, ciência e filosofia, Huberto Rohden, tinha autoridade para afirmar, que tanto no mundo físico quanto no mundo metafísico, “concentração”, sempre, dá luz ou calor. Segundo Einstein: “Matéria é energia congelada. E energia é luz condensada”. A ciência atômica, afirma que todos os elementos da química (matéria), provêm da luz. Portanto, a fonte de toda matéria, não é matéria, mas sim, luz!

Para Rohden, a capacidade de “concentrar” o pensamento num “único” ponto, mobiliza uma “força” poderosa, capaz de atuar favoravelmente, inclusive em prol da própria saúde. Muitos chamam isto de cosmo terapia. Concentração para Rohden, não tinha nada a ver com religião, era pura racionalidade. Porém, para se atingir a verdadeira felicidade, dizia, é necessário ultrapassar a concentração mental e atingir a “contemplação” espiritual (samadhi, êxtase, graça, revelação).Com zero % de dispersão e cem % de concentração.

Contemplar, explica Rohden, é parar, admirar, estar com o templo (santuário, sagrado), plenamente consciente de sua essência Divina. Com o esvaziamento dos canais do EGO é possível ser preenchido pela fonte Divina. Somos infelizes, enquanto permitimos que as periferias do nosso EGO sejam mais fortes do que nosso centro (EU). Quando se concentra no EU e atinge-se a contemplação espiritual, acontece a verdadeira felicidade, também chamada de, samadhi, êxtase, terceiro céu, revelação, graça, experiência, entusiasmo.

Para Rohden, o maior dos Mestres, Jesus, o Cristo, ficou 40 (quarenta) dias neste estado, antes de iniciar sua vida pública. Isolado totalmente, na contemplação espiritual, alimentando-se apenas “do verbo que saía da boca de Deus”, como dizia Ele. Provando que “nem só de pão vive o Homem”. A ciência já provou que as “calorias” que absorvemos através dos alimentos, vieram do sol. E poderiam ser bastante reduzidas, segundo Rohden, se tivéssemos o poder de concentração mental e contemplação espiritual. Teríamos, inclusive, poder sobre todas as circunstâncias. Poderíamos nos ocupar com tudo, sem nos pré-ocupar com nada! Finaliza, dizendo que toda filosofia consiste nisto, no domínio dos nossos pensamentos e de nossas emoções. Sair da escravidão do EGO, para viver a verdadeira liberdade de filhos de Deus!

São Paulo, 09 de Janeiro de 2011.

Claudio Campos

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário

Você deve estar logado para fazer um comentário.